sexta-feira, 11 de setembro de 2009

QUEM FOI DOM FREI AMANDO BALHMANN, OFM (1862-1939)


Nasceu a 08 de maio de 1862, em Bartmansholte, paróquia de Essen, na Alemanha, e era o segundo filho de um honesto e simples professor primário, com fez os seus primeiros estudos, passando depois para Vechta, onde fez os estudos ginasiais. Entrou, em seguida, como noviço na Ordem Franciscana, em Harreveld, onde recebeu o hábito a 21 de agosto de 1879, tendo sido seu Mestre de Noviços o experimentado Padre Osmundo. A 24 de agosto de 1880 fez a Profissão Simples, e a 03 de outubro de 1883 a Profissão Solene. Em Bleyerheide, onde terminou os seus estudos ginasiais, ingressou em Filosofia, seguindo, em 1884, com outros alunos, para Roma, onde freqüentou o Colégio da Propaganda. Aí concluiu os seus estudos com o honroso diploma de Doutor em Filosofia e em Teologia, em 1889, já ordenado Sacerdote, pois a sua ordenação se deu em Roma, na Basílica de Latrão, a 22 de Setembro de 1888.

Regressando à Alemanha, foi enviado para Werl, como professor de Filosofia, mas, desejoso de ser missionário, apresentou-se como candidato para as Missões no Brasil, onde se pretendia restaurar as Províncias Franciscanas.

Efetivamente, a 24 de maio de 1891 embarcou em Bremen para o Brasil, em companhia de mais um padre e dois irmãos leigos, indo estabelecer-se na cidade de Desterro, atual Florianópolis, por onde se começou essa restauração. Em dezembro de 1892 veio para a Bahia com os antigos e novos padres. Tratou-se da restauração da antiga Província de Santo Antônio, do norte do Brasil, tendo sido Frei Amando Bahlmann nomeado Superior, Professor e Mestre de Noviços, ainda lhe sobrando tempo para ser excelente pregador de Missões.

Em 1905 foi nomeado Visitador das Províncias de Argentina e Bolívia, cargo de que muito bem se desempenhou, de tal modo que, ao regressar, passando por Buenos Aires, recebeu a notícia da sua nomeação, 18 de janeiro de 1907, para Prelado de Santarém, de que tomou posse canônica a 04 de agosto do mesmo ano, um dia depois de sua chegada à sede de sua Prelazia. Vieram com ele Frei Capistrano e Frei Camilo, um sacerdote e o outro irmão leigo. Logo em 1908 foi a Roma, onde foi sagrado Bispo Titular de Argos. Regressou depois a Santarém, a sede querida da sua Prelazia, e desde então a vida de Dom Amando não teve outra finalidade senão o desenvolvimento onímodo desta parte da Igreja que a Santa Sé lhe confiara. Morreu em Nápoles, a 05 de março de 1939, poucos dias depois da eleição do Papa Pio XII, assistido pó um confrade religioso a quem ele mesmo havia ordenado dezesseis anos atrás, o Revmo. Padre Crisóstomo Streemer.



A 06 de março foi celebrada Missa de corpo presente na Igreja de Santa Maria la Nueva, em Nápoles, sendo celebrante o Revmo. Padre Definidor Geral Bertrand Kurtscheid, assistido pelos Padres Xavier Boockey e Pancrácio Puetter.

O seu sepultamento realizou-se também em Nápoles, no cemitério franciscano da Província de Santa Maria la Nueva, até que, em abril de 1952, no dia 10, pelo "Cantuária", do Lóide Brasileiro, entravam em Santarém os seus restos mortais, recebido pelo povo com verdadeira apoteose, e com apoteose ainda maior no sepultamento em jazigo perpétuo na Matriz de Santarém, no dia 14 de abril de 1952, na Capela do Senhor dos Passos, onde uma lápide singela assinala o nome querido do maior de todos os benfeitores de Santarém.



Um comentário:

frei Cleiton Robson disse...

Quem é autor deste blog? Preciso entrar em contato!

Postar um comentário